• Renato Martins

O preconceito nos olhos do Funk Ostentação

O movimento do funk ostentação em São Paulo já diminui a tal ponto, que é possível dizer que ele acabou. Mas, é válido lembrar que essa passagem dos funkeiros consumindo produtos que até então era apenas da elite, incomodou bastante gente – vale lembrar dos rolezinhos.

A música do Mc Kelvinho, “Nós sabemos o que elas gostam” mostra essa realidade da visão do funkeiro. O vídeo é bem simples: o cantor chega numa loja de carro e fica olhando um deles com mais interesse. Os demais funcionários ao perceber um negro na loja se assustam e começam a esconder seus pertences, enquanto isso o gerente da loja se preocupa. A coisa aperta quando o cantor entra dentro do carro, ai os funcionários o abordam para retira-lo. O cantor não entende bem a abordagem, e chama seu empresário que traz o dinheiro para a compra do carro.

O ponto desse post é pensar sobre essa realidade: em um momento, o público do funk foi colocado de lado porque não tinham poder financeiro suficiente para pertencer a determinados grupos; porém com a economia aquecendo e o poder aquisitivo dos funkeiros aumentado, qual o novo motivo para essas atitudes continuarem? ou qual é o real motivo disso tudo?

Captura de tela 2015-03-11 às 12.25.27

4 visualizações0 comentário