• Renato Martins

"Meu foco é fazer música, sem me encaixar em rótulos" se apresenta Jaca Beats

O produtor vem lançando o house baile, uma mistura de funk com house music.


Natural de Volta Redonda, Rio de Janeiro, o produtor Jaca Beats vem se destacando no cenário da Bass Music BR com produções misturando House e funk. Gabriel Luis A. de Paula Machado, 24, começou tocando violão na igreja, teve uma banda de rock psicodélico na adolescência e nessa banda, quando começou a gravar as demos, se encontrou com programas de produção. O Jaca Beats surgiu em 2016 com músicas na internet e nesses quatro anos de carreira, o produtor já viu sua música ser tocada pelo Diplo, está negociando um álbum inédito com uma gravadora francesa e promete um álbum só de funk ainda pra 2021.

"Eu comecei a estudar muito esse estilo de house e afro house, afroguetto. Meio que o bassline [do funk] tem a mesma colocação do house pra mim". É com essa frase que Jaca Beats explica o seu momento atual na produção. Misturando elementos do house com as letras de funk, o produtor vem trabalhando no que ele intitula 'house baile', afinal, morar no Rio de Janeiro é ouvir funk (querendo ou não).


"Porque assim, querendo ou não, eu posso ouvir no fone, mas se eu sair na rua, você vai ouvir um carro de som estourando ouvindo funk, um 150BPM. É uma parada que ta no dia a dia de todo mundo ouvir funk. Ai é meio que uma influência que bate né", conta Jaca Beats.

O nome Jaca veio do pai, que tinha o apelido de Jacaré, e como são iguais a turma o apelidou de Jacarézinho. Entretanto quem passou a visão da música, instrumentos e até uns aprendizados, foi o avô por parte de mãe. "Meu avô toca violão, acordeon, sanfona, teclado, as paradinhas tudo. Ele me ensinou umas paradinhas de música antes de eu começar a tocar, tipo um violão básico, umas paradas assim".


Ele também foi aprender o gosto pela música eletrônica quando mais velho, há alguns anos. Como fã do Rage Against The Machine, ele sentia que o guitarrista Tom Morello misturava as guitarras com umas paradas de DJ. Além disso, um amigo do curso técnico de informática lhe apresentou os programas, depois produtores eletrônicos e aí já era.


"Antes, 2014-2013, eu não ouvia música eletrônica em geral. O que me influenciou bastante foi o som do Tom Morello, ele fazia umas paradas meio exóticas na guitarra, ele misturava as paradas como se fosse DJ e guitarrista. Só que aí um mano da minha sala me apresentou um programa lá, o mixcraft, e me mostrou umas paradas de eletrônica. O primeiro som que eu ouvi foi o Skrillex em 2014 e depois foi Flume, tá ligado. E o Flume eu me identifiquei bastante com o som do cara, um bagulho foda", explica.


Assim surge o projeto atual do Jaca Beats, misturando house, funk e outras influências que Jacarézinho usa no seu trabalho. Mas ele não pretende ficar nessas por muito tempo, essa é mais uma fase de aprendizado que ele teve.


"Pô, vei, eu às vezes não consigo me encaixar em nenhum rótulo. Porque eu to sempre estudando e estruturando músicas diferentes. No momento eu to fazendo house baile, que é o estilo que eu to tentando me reinventar. Agora mês que vem, se eu soltar um álbum de funk, com um funk diferenciado, vou fazer uma parada que tipo, sei lá, vou tentar dar uma diferenciada no som, dar uma sofisticada um pouco nesse estilo que eu to tramando no caso. E tipo, meu foco é fazer música, sem meio que me encaixar em rótulos. Fazer a música e seguir".

Sem pretensões, Jaca Beats vem crescendo no cenário musical. Ele já foi assunto de portais gringos sobre música, como Vice (duas vezes), Selector News e Lyrical Lemonade. Em 2020 viu sua produção ser executada por um dos maiores DJs do mundo, o Diplo, no carnaval do Tropkillaz. "O Diplo tocou uma track minha no rolê e tipo foi a parada mais impactante pra mim. E eu tava nesse rolê, no caso, e eu fiquei emocionado, chorei, uma parada que me impactou demais. A minha música, feita aqui no meu quarto, sem pretensão nenhuma, o cara tocou num evento que tinha umas duas mil pessoas pra cima", conta Jaca Beats. "Uma parada absurda, eu acho que pra mim é gratificante demais, não tem preço".



Agora, o produtor prepara um álbum de funk e um projeto internacional. "Mês que vem eu vou lançar um álbum novo de funk mesmo 150, 170 BPM e mais pra frente também vou lançar um álbum com uma gravadora da França se tudo der certo, ainda neste ano".


A carreira que surgiu por brincadeira vem crescendo mas ainda não paga as contas, porém, o produtor diz que se der certo, tudo bem. Se não der, tudo bem também. "Eu faço a parada meio que de hobby né mano, porque eu faço faculdade administração, tô no 5º período e trabalho num restaurante como auxiliar administrativo. E tipo, tem o meu corre de música. O que eu ganho de grana, no caso, é a grana que eu tento investir nos meus equipamentos. Ai eu vou guardando e tentando investir no corre aqui, porque, sei lá, vai que um dia vire. Mas se num virar também não faz diferença, porque eu acho que é uma parada totalmente que eu faço de coração, sabe?! Porque só eu vou fazer acontecer, se não for, tamos ai trabalhando pra continuar".


Todas as músicas do Jaca Beats você encontra no Audius, Soundcloud, BandCamp e Spotify.

40 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo