• Renato Martins

Introduzindo: Baile Noise



bordini beat

Depois do nosso post, falando sobre a rasterinha, recebemos um comentário do Tiago Malta, mostrando outras vertentes novas do baile funk, que ainda são pouco noticiadas. Um deles, é o Artista Daniel Bordini, que usa o codinome BordiniBeat, em um dos seus projetos, para mostrar o Baile Noise. Uma vertente bem experimental do baile funk.

O Baile Noise, é um projeto experimental que o Artista Daniel tem feito há algum tempo. Dentre experimentos e distorções, colagens e gravações, resultou num som que não é o mesmo feito pelos artistas do morro, ou pela galera do neo baile. É um som sem um cara e sem um rótulo, ele também não tem uma formula concreta, mas também não é um som que se misture com qualquer outro.

Ele tem os elementos do baile funk marcados na sua essência. O Tamborzão e o voltmix, estão ali, eles ditam o rumo da música, mas ao mesmo tempo, eles se perdem entre os sons que fazem a música ser o que ela é.

Nós conversamos um pouco com esse produtor que já tem 3 páginas completas de sons no soundcloud. Ficamos mais de 2 dias ouvindo e digerindo toda essa bagagem musical que estava perdida na rede da internet, e agora foi descoberta:

Fala um pouco sobre o Daniel Bordini, e como começou a produzir, como você produz, quais  são suas influências…

Eu produzo desde 2000 / 2001 mais ou menos, tenho 36 anos,mas nessa época eu estava aprendendo a fazer som no pc. Do jeito que to hoje na produção eu to mais ou menos desde 2006. Eu produzo num FL Studio, e faço algumas captações de eletrônica analógica. A técnica se chama Circuit Bending.


O funk que você faz é bem experimental, você pretende definir alguma linguagem ou sempre serão experimentos?

Eu tenho dois projetos o Bordinibeat, que eu faço um funk talvez um pouco menos experimental, usando elementos do FC mais elementos do Som industrial etc …O Bordinibeat sempre é mais dançante e o projeto que leva meu nome completo é bem mais experimental.

As minhas influências são diversas desde imagens até sons. Na verdade eu não sei definir muito, porque eu vou montando as tracks com fragmentos ou midis e a coisa sai na hora. Eu vou sabendo como vai ficar a track no decorrer da construção do áudio, mas tem coisas que eu visualizo o áudio antes de botar no Software, mas não é sempre.

Gosto de gravar sons do ambiente no ônibus nas ruas as vezes e sons de objetos de minha casa. Ai uso nas minhas composições, não faço só funk experimetal eu faço noise também mas quase sempre tem algum elemento do Funk. Ou so uma batida que aparece as vezes na música ou um vocal de funk etc. Uso muitos vocais em algumas tracks vocais soltos nunca uso um canal inteiro de vocais. Quase nunca uso.

Como você conheceu o funk carioca?

A cara desde muito jovem eu já ouvia nas rádios aqui do Rio. Mas eu não dava tanta atenção, que na época era o Freestyle e o Miami Bass. Isso no final dos anos 80 e começos dos anos 90. Depois eu só fui começar a ouvir mais tarde, mas sempre gostei.

O funk que é feito ou que foi feito a alguns anos como o tamborzão 99 eu escuto desde 98 por ai.

E quando surgiu o interesse em produzir funk?

Surgiu quando eu comecei a frequentar a casa de um amigo que já produzia. Essa amigo me apresento vários programas. Eu tentava fazer algo mas não sabia mexer. Com o tempo eu fui me familiarizando e fazendo minhas primeira produções, que são bem rudimentares to falando pra época, final de 99/2000

Foi quando comprei meu primeiro PC. Eu fiquei maravilhado quando via esse amigo produzindo, eu queria aprender.Quando eu já tava com o pc em casa, so mexia nos programas praticamente. Era tudo bem novo pra mim, eu so sabia que era aquilo que eu queria fazer na vida. Tinha isso em mente.

Mas eu desenho também e isso foi paralelamente a meus desenhos Eu estudava no Parque Lage do lado da casa desse amigo. Eu ficava produzindo e depois ia pras aulas de Arte.

Tenta definir pra gente o que seria o Baile noise Baile Noise é uma mistura de tudo e inclusive a música noise ao funk carioca. Tudo que der uma cara expeimental ao gênero, é considerado Experiemtal Baile funk.

No seu Blog tem uma galera fazendo essas misturas, mas talvez sem a pegada Experimetal que eu uso.

Na verdade quem começou a fazer essas misturas Foi um projeto chamado Demilus e Dulorem aqui do RIo. Eles fizeram um ou dois discos nessa linha mas n a coisa não evoluiu muito parou nesses álbuns e não caminhou muito.

Veja outros experimentos aqui:

Escute mais do Baile Noise de Daniel Bordini. Você pode clicar no link1 ou no link2 e também tem o link3.

#experimental #bailenoise #novidade #bailefunk #Noise #danielbordini #RiodeJaneiro

0 visualização0 comentário